quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Secult firma parceria


Por João Eça (Jornal A Tarde)

Morador do bairro de Engomadeira e estudante de música da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Ismael Santos de Souza, 25anos, já tocou em várias bandas de axé e pagode. Mas foi como trombonista dos Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (NEOJIBA) que ele realmente se encontrou, tendo a oportunidade de estudar e aprender música de concerto.

Ontem, Ismael foi uma das pessoas que estavam no Teatro do Iceia (Instituto Central de Educação Isaías Alves), no bairro do Barbalho, para acompanhar o titular da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult-BA), Márcio Meirelles, anunciar que a gestão do NEOJIBA será feita a partir de agora por um processo de parceria entre o governo e a sociedade civil conhecido como publicização, fato inédito no setor cultural do Estado.

Uma das metas do acordo é a reforma do Teatro do Iceia, que custará cerca de R$ 15 milhões. Em 2010, o teatro será o local de ensaios dos núcleos, que antes ocorriam no Teatro Castro Alves (TCA).

“A publicização facilita a captação de recursos e diminui a burocracia. Queríamos, de todo jeito, institucionalizar o NEOJIBA. Temos experiências de sucesso deste modelo de parceria no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, e no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, no Ceará, que foi o pioneiro no País”, explicou o secretário.

A administração do núcleo será feita pela Associação Amigos das Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia e do NEOJIBA (AOJIN), que foi escolhida e habilitada pelo governo como uma organização social.

Com direção do pianista, maestro e idealizador do NEOJIBA, Ricardo Castro, a AOJIN receberá da Secult uma verba anual de R$ 2,4 milhões e terá de complementar o orçamento buscando recursos com a iniciativa privada.

A associação terá de cumprir uma série de metas, a exemplo da anunciada reforma do teatro. Criado em 2007, o NEOJIBA beneficia, atualmente, 135 jovens por meio do ensino musical.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Concerto de Natal reúne J2J, OCA e Osba no TCA

A J2J fica de pé, retribuindo os aplausos calorosos da plateia que lotou o TCA

As duas primeiras orquestras formadas pelo NEOJIBA - a Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho e a Orquestra Castro Alves - e a Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba) tocaram juntas no último domingo (13), em Concerto Especial de Natal realizado numa lotada Sala Principal do TCA, que encerrou a temporada 2009. O repertório foi formado por seis obras de diferentes compositores, entre eles, Tchaikovsky e Brahms.

A Orquestra Castro Alves (OCA), que, pela primeira vez, se apresentou na Sala Principal do TCA, abriu a noite com as peças "Dança Húngara nº 5", de Brahms, "Suíte Carmen", de Georges Bizet, "Tema de James Bond", de Monty Norman, e "Chamambo", de Manuel Artés. A orquestra foi regida pelo jovem maestro Yuri Azevedo.

A Orquestra 2 de Julho (J2J) apresentaou a "Sinfonia nº 9 em Mi menor, op. 95 (Do Novo Mundo)", de Antonín Dvorák, regida pelo maestro Ricardo Castro. Também sob a regência dele, a Osba encerrou o concerto com "Quebra Nozes, suíte nº 1, op. 71A", uma das mais conhecidas obras de Tchaikovsky, contando com a presença de vários músicos da J2J.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

J2J se apresenta no Encontro Anual da EMBASA

Os sopros da J2J deram um show no concerto no Othon Palace


Na última quinta-feira, 10 de dezembro, a Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho (J2J) apresentou-se para funcionários e diretores da Empresa Baiana de Águas e Saneamento - EMBASA, no Hotel Othon Palace, em Ondina. Sob a regência de seu diretor-fundador, o pianista Ricardo Castro, os jovens abriram a apresentação com Os Toureadores da Suíte Carmem de Bizet, o Terceiro e o Quarto movimentos da Sinfonia n°9 “Novo Mundo” de Antonín Dvorák. Logo depois, adentraram o clima latino com o Danzón n°2 do argentino Arturo Marquez e terminaram com o baião improvisado da música Asa Branca de Luiz Gonzaga.

No evento, a EMBASA e seus parceiros contribuíram na campanha "Adote um Instrumento" do NEOJIBA, com a doação de dois instrumentos musicais. Além disso, anunciaram a parceria com o NEOJIBA para 2010, ajudando a promover apresentações da J2J por toda a Bahia, uma vez por mês, durante todo o ano.

domingo, 6 de dezembro de 2009

Mais músicos convidados em atividade no NEOJIBA

Michel Bellavance ao lado dos sopros da J2J e o Quarteto Arsen se apresentando


Em mais um dos intercâmbios entre NEOJIBA e FESNOJIV, esteve entre 25 de novembro e 1º de dezembro o Quarteto Arsen, formado pelo violinista Andre Rivas, a violista Marli Calderón, a violinista Fabíola Gamarra e o violoncelista Andrés Ruiz Sará. Eles coordenaram ensaios, deram aulas e fecharam a visita com uma emocionante apresentação no piso C do Teatro Castro Alves. Os jovens venezuelanos executaram o Quarteto Opus 19 nº 2, de Beethoven, e o primeiro movimiento da Bachiana nº 5 de Villa- Lobos.

Também esteve em Salvador, entre os dias 26/11 e 06/12, o grande flautista suíço-canadense Michel Bellavance. Ele ministrou master classes para os sopros da J2J, coordenou ensaios de naipe com as flautas, além de realizar aulas individuais e trabalhar com os pequenos músicos da OCA. Bellavance atua como solista nas principais orquestras do mundo, e também é professor no Conservatório de Música de Genebra e no Conservatório em Neuchatel e ministra regularmente master classes na América do Norte, Europa e América do Sul.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

J2J comemora o centenário de Morro do Chapéu

O maestro Paulo Novais conduz a J2J em mais uma bela apresentação da orquestra

No último dia 03 de dezembro a Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho (J2J) saiu em mais uma viagem. Desta vez rumo ao noroeste da Bahia, na região da Chapada Diamantina, à pequena e bela cidade de Morro de Chapéu. Sob a batuta do maestro Paulo Novais, a apresentação foi parte das comemorações do centenário do município e uma celebração ao Coronel Dias Coelho, representante máximo do poder político local no inicio do século XX e o primeiro coronel negro da região.

Os presentes puderam apreciar a Dança Húngara nº5 de Brahms, a Fantasia para Trombone e Orquestra de Abdon Lyra, o 4° mov. da Sinfonia n° 9 “Novo Mundo” de Dvórak, Danzón n°2 de Marquez, o Malambo, da Suíte Estância de Ginastera, o baião do Batuque de Fernandez e o animadíssimo Tico-Tico no Fubá, de Abreu.

O concerto teve sabor especial para dois integrantes da orquestra, que são filhos de Morro do Chapéu. Indira Monteiro e Stephan Sanches, apaixonados pela sua terra, puderam pela primeira vez mostrar a seus conterrâneos todo o talento deles e dos colegas de orquestra. Stephan solou à frente da orquestra uma Fantasia para Trombone e Indira, o solo do Danzón nº2. "Foi muito bom ver a satisfação do público após o marcante concerto em minha cidade. Morro do Chapéu é muito rica em cultura e com certeza foi um dia inesquecível nesses 100 anos de sua existência. Ter apresentado o belíssimo trabalho que o NEOJIBA vem desenvolvendo nesses dois anos foi ótimo e a emoção de ter solado o Danzón, melhor ainda!", contou Indira.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Divina Música à margem do Vesúvio

Por Rogério Menezes *

Afundava-me em nebulosas especulações na vã tentativa de explicar por que diabos passarinhos do sul da Bahia (já havia visto cena similar aparentemente inexplicável na Igreja de Nossa Senhora do Amparo, em Valença) andam trocando árvores frondosas da Mata Atlântica por altares e adros de igrejas aparentemente claustrofóbicas. Desarranjo ecológico irreversível? Fervor religioso súbito dessas maviosas aves, que estariam trocando o culto à natureza pelo culto aos santos criados e idolatrados por nós, humanos?

Mais nebulosas especulações: que diabos teria feito com que passarinhos do litoral sul da Bahia agora resolvam construir ninhos em cocurutos de santos, em depositários de hóstias e em topos de crucifixos? Que diabos teria feito com que passarinhos do litoral sul da Bahia agora tenham transformado cocurutos de santos em latrinas onde ejetam suas fezes malcheirosas?

A essa altura dessa insana e intrincada elucubração, quase esquecera o que me levara à bela e colossal Catedral de Ilhéus, às margens plácidas do jorgeamadiano Bar Vesúvio, na noite quente de 27 de novembro de 2009: estava ali para assistir à apresentação da Orquestra Juvenil Dois de Julho, também conhecida como Neojibá. (Ao contrário do que se poderá imaginar, não se trata de palavra em iorubá, ou idioma similar, de fácil identificação com aquela Bahia folclórica e dejá vu a que estamos acostumados a lidar – e sim eloquente sigla que significa exatamente: Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia. Na batuta dessa bem-vinda idéia o maestro Ricardo Castro, baiano de Vitória da Conquista, e atualmente celebridade top de linha na música erudita produzida na Europa e alhures).

Ainda ensimesmava-me em decifrar as motivações que levaram passarinhos de Valença e de Ilhéus a trocarem as delícias tropicais da Mata Atlântica pelo causticante calor das igrejas, quando avistei vários guapos rapazes e moças, entre 11 e 25 anos, que saíam de porta de sala localizada à direita do grande altar e que, cheios de entusiasmo e gáudio e alegria, dedilhavam seus instrumentos, esquentando os, digamos, tamborins para a récita que começaria a seguir.

Verdade que, vez em quando, ainda conseguia tirar os olhos desses entusiasmados rapazes e moças visivelmente apaixonados pelo que fazem (tocar alguns das pérolas mais preciosas da grande música produzida no planeta nos últimos séculos) e acompanhava os vôos rasantes dos passarinhos entre uma Santa-Rita-de-Cássia e um São-Sebastião; ou entre um São-Judas-Tadeu e um São-Jorge-da-Capadócia. Mas, aos poucos, fui esquecendo os passarinhos e as motivações que os levaram a trocar os encantos da Mata Atlântica pelos altares de igrejas do sul da Bahia – e fui me deixando levar pela música sublime que os rapazes e moças da Orquestra 2 de Julho começavam a tocar.

Antes de revelar o estado de sublime emoção em que Ricardo Castro e seus ungidos me deixaram nos sessenta minutos seguintes, devo dizer o quanto a música me é cara e o quanto a música tem de sublime e de divina (seja qual for o Deus que estiver ao alcance de cada um). Ao contrário da literatura, do teatro e do cinema, a música não precisa tradução simultânea para ser entendida por neozelandeses ou japoneses; tibetanos ou egípcios; brasileiros ou eslovenos. A bordo de uma peça clássica de Mozart ou Bach, a mesma emoção será sentida por gente de todas as etnias, credos e ideologias.

Resumo da ópera: se o mundo ainda tem alguma salvação essa salvação talvez possa de dar através da música. Se não, adeus batucada.

Não sei se os meninos e meninas da Orquestra 2 de Julho têm opinião similar – mas acabei crendo que sim. Se não como explicar o verdadeiro arrebatamento com que executaram os clássicos de Beethoven e Dvorak que vieram a seguir? Tocavam como se estivessem salvando não apenas a si mesmos, a família e a pátria, mas como se estivessem (e, de alguma forma, de fato estão) salvando a raça humana da falência e da extinção múltiplas e totais. Havia um se-deixar-possuir-pela-música-que-tocava (em síntese: uma paixão), que é artigo cada vez mais raro nos (cínicos) dias de hoje dia mundo afora. (Ai de nós!)

Enquanto um passarinho fazia vôo rasante a boreste da cabeleireira à Carlos Gomes do maestro Ricardo Castro e um certo violinista demonstrava no rosto um sentimento de prazer incontido que se transformava em sorriso edificante, afoguei-me em certa lembrança e em certo arrependimento, que talvez nunca consiga me livrar: tive a chance de virar músico (estudei piano entre os 7 e os 10 anos, por insistência de minha mãe) – e não quis abraçar essa chance de virar músico por insistência de minha mãe, e acabei virando jornalista, e acabei virando escritor, décadas-luz da transcendência que a música pode alcançar (ai de mim!).

Mas agora, leite derramado, possibilidade nenhuma de, aos 55 anos, aprender a tocar qualquer instrumento musical, e, consequentemente, de salvar o mundo da falência múltipla e total, só me resta aceitar com humildade e estoicismo o destino que a vida me legou: o de chorar de emoção estética e de gritar bravos em altos brados sempre que ouço récitas musicais como essa que os meninos da Orquestra 2 de Julho, sob a batuta do maestro Ricardo Castro, protagonizaram na noite de 27 de novembro de 2009 numa Catedral de Ilhéus loteada por passarinhos.

Obrigado, meninas e meninas – com meninas e meninos tocando assim, tão apaixonadamente, talvez ainda haja alguma esperança de que a raça humana algum dia possa se tornar viável – e que passarinhos não precisem abandonar mais matas atlânticas e se recolherem em igrejas aparentemente claustrofóbicas.

Amém.

* O escritor e jornalista Rogério Menezes viaja pelo interior baiano a convite da Secretaria de Cultura da Bahia. Este artigo foi retirado do blog da III Conferência Estadual de Cultura da Bahia.

domingo, 29 de novembro de 2009

J2J se apresenta na III Conferência Estadual de Cultura

J2J faz apresentação inspirada na Catedral de São Sebastião, em Ilhéus

Nos dias 26 e 27 de Novembro os integrantes da Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho (J2J) estiveram na região cacaueira da Bahia, na cidade de Ilhéus se apresentando na III Conferência Estadual de Cultura. Sob a batuta do maestro Ricardo Castro, a J2J encantou os presentes na Conferência. Representantes soteropolitanos e do interior do estado, que até então nunca tinham ouvido um orquestra sinfônica, saíram emocionados do concerto.

Os representantes territoriais de cultura de todo o Estado, produtores, artistas puderam prestigiar - e se emocionar - com a bela performance da J2J no Centro de Convenções de Ilhéus. "Foi divino! A paixão que eles passam através da música é indescritível, é impressionante o poder da música. Eu saí daquela sala por alguns instantes, pude transcender a outra era. Não me lembro quando foi que algo me tocou assim... Pena que já estou velha para tocar!", declarou Urânia Munzanzu, coordenadora do Ponto de Cultura do Engenho Velho da Federação.

Os jovens apresentaram a Abertura de Coriolano. Op.62 de Beethoven, o terceiro e o quarto movimentos da Sinfonia nº 9 em E menor, Op. 95 de Dvorak, a Dança Húngara nº 5 de Brahms, o Malambo da Suíte Estância de Alberto Ginastera, Tico-Tico no Fubá de Zequinha de Abreu e o arranjo da música Asa Branca de Luis Gonzaga.

No dia seguinte, entre cantos espairados pelo ar por belos pássaros, vitrais franceses, colunas gregas e arcos góticos, a J2J tocou inspiradamente na Catedral de São Sebastião. A apresentação contou com a dramática história do Sargento Coriolano, que inspirou Beethoven a compor a Abertura de Coriolano, Op. 62, além da Dança Húngara de Brahms, o 1°, 3° e 4° movimentos da Sinfonia n° 9 “Novo Mundo” de Dvorak, o dançante Danzón nº2 de Marquez e o profundo Nimrod (Enigma Variations) de Edward Elgar, finalizando a noite.

Estiveram presentes na noite o Ministro de Cultura - Juca Ferreira, o Governador da Bahia - Jaques Wagner, o Secretário de Cultura da Bahia - Marcio Meirelles, o Prefeito de Ilhéus - Nilton Lima entre outras autoridades.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Integrantes do NEOJIBA aprendem a ensinar com Susan Simán

Susan Simán realiza importante trabalho no ensino da iniciação musical

Entre os dias 16 e 21 de novembro esteve em Salvador a violinista venezuelana, da Miami Symphony Orchestra, Susan Simán. Ela veio a nossa terra com o objetivo de passar sua enorme experiência em iniciação musical, na propedêutica do ensino de música, em especial das cordas. Além disso, Susan fez ensaios com as cordas da J2J e OCA, e deu aulas individuais.

Esta é uma introdução do trabalho de Susan aqui. No início do ano que vem, com a mudança da sede do NEOJIBA para o Teatro do ICEIA, e com a inserção de novos alunos, ela retornará para preparar os integrantes do projeto a serem bons professores, passando a eles a propedêutica do ensino musical. Para ela, antes de ensinar como dar aulas se faz necessário o empenho em habilitar os músicos no seu desempenho como instrumentista e no seu papel na orquestra. "É preciso termos músicos sólidos, uma orquestra sólida, afinal sem músicos não há aluno".

Susan Simán tem um longo currículo como educadora, tendo sido por vários anos diretora do Centro Acadêmico Infantil de Montalbán (sede das orquestras infantis na Venezuela), onde desenvolveu centenas de atividades por inúmeros núcleos venezuelanos do FESNOJIV. Atualmente é diretora do Doral Conservatory, em Miami, e coordenadora de vários conservatórios e projetos de música em Nova York e Colorado (EUA), Porto Rico, México, Argentina, Colombia, dentre outros.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Concerto em Miami tem renda revertida para o NEOJIBA


Acontece hoje à noite em Miami concerto especial da Miami Symphony Orchestra que, além de homenagear os 50 anos da morte de Villa-Lobos, tem como objetivo a arrecadação de fundos para o projeto NEOJIBA. A apresentação, organizada pela Diretora Artistica e Fundadora Simone Leitão e pelo produtor-executivo Frederico Gouveia, conta com os artistas brasileiros convidados Luiz Fernando Malheiro (maestro), Edna d'Oliveira (soprano) e Simone Leitão (piano).

Com a missão de celebrar a cultura sinfônica brasileira e incentivar o crescimento da música clássica no Brasil, grande parte da arrecadação do concerto será doada ao NEOJIBA. Os fundos arrecadados da venda de ingressos serão encaminhados ao Banco de Instrumentos da Inter-American Cultural Development Foundation, em Washington, D.C., e o valor será investido na compra de instrumentos musicais para o NEOJIBA, em 2010.

Ações de apoio ao NEOJIBA, como esta, têm vindo dos mais diversos lugares. Exemplo disso, além do concerto em Miami, são a contribuição do Consulado venezuelano - que na última semana fez importante doação para a compra de materiais de luthieria -, e o concerto que será realizado em Lausanne pela École de Musique Pully, também em prol do NEOJIBA, no próximo dia 02 de dezembro (só para ficar nos exemplos do mês atual). Estes frutos foram colhidos através das sementes plantadas pelo próprio Ricardo Castro que, além de Diretor-Fundador do NEOJIBA, tem o importante papel de Embaixador do projeto, trabalhando pela divulgação e atração de parcerias em suas viagens pelo mundo. Ao mesmo tempo, demonstra o grande potencial de captação do NEOJIBA, que certamente tem muito a oferecer para o mundo e para seus jovens integrantes que - estes sim - são os grandes frutos dessa bela colheita musical.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Cônsul da Venezuela visita o NEOJIBA no TCA

A cônsul Coromoto Godoy (ao centro) visita o ateliê de lutheria do NEOJIBA

O NEOJIBA recebeu na tarde dessa terça-feira, dia 10 de novembro, a visita da cônsul geral da República Bolivariana da Venezuela em Recife, Coromoto Godoy Calderón, acompanhada da vice-cônsul Maria Dolores Mani. Elas foram acompanhadas pelo diretor-fundador do projeto, o maestro Ricardo Castro, pelo Secretário de Cultura do Estado da Bahia, Marcio Meirelles, e pelo representante da Câmara de Comércio Brasil - Venezuela de Salvador, Gilmar de Araujo.

Durante a visita, a cônsul fez a entrega de um cheque no valor de R$ 13.000,00, metade de uma doação que será repassada na íntegra até o início do ano que vem. Esse montante vai ser revertido em material para o primeiro ateliê de luthieria do NEOJIBA. A luthieria é a arte de fabricar e reformar instrumentos e o projeto já está preparando jovens músicos aprendizes para seguirem nesse ofício.

Além da entrega do cheque, a cônsul anunciou também uma futura parceria que vai disponibilizar cursos de espanhol para os integrantes das orquestras. Além disso, os estudantes de luthieria também foram convidados para participarem de estágio na Venezuela, nas oficinas do FESNOJIV, projeto no qual a criação do NEOJIBA foi inspirada.

Para o Secretário Márcio Meirelles, estreitar a relação com um país como a Venezuela é um caminho para se comunicar cada vez mais com a América Latina. O maestro Ricardo Castro também destacou a importância de uma doação feita por um país vizinho e aproveitou a oportunidade para apresentar aos visitantes a Orquestra Castro Alves (OCA), batizada nessa semana com o nome do poeta baiano, que executou algumas peças do seu repertório, assim como a Orquestra Juvenil 2 de Julho (J2J), formada por jovens de 11 a 25 anos, encerrando o encontro com música da mais alta qualidade.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

OCA estreia na 28ª Feira da Fraternidade

O jovem regente Yuri Azevedo conduz a OCA, a mais nova orquestra do NEOJIBA

No último domingo, 08 de Novembro, os presentes na tradicional Feira da Fraternidade, realiada no Barracão da Graça, puderam apreciar a estreia da Orquestra Castro Alves (OCA). A OCA abriu a apresentação com Ivana Dudnik regendo a Dança Húngara n° 2 de Brahms e trechos da Suíte Carmem de Bizet, seguida pelas coreografias da envolvente salsa Chamambo de Manuel Artes, com o jovem Yuri Azevedo regendo. Depois foi a vez de The James Bond Theme, trilha sonora das famosas aventuras de James Bond. Para finalizar, foi executado o arranjo da Abertura dos Mestres Cantores de Wagner com Dudnik na regência. A apresentação encantou e despertou a curiosidade de várias crianças presentes no local, como a pequena Amanda Santana, de apenas seis anos. Ao final do concerto ela veio curiosa até os oboístas da orquestra perguntar qual era o nome daquilo. "São muito bonitos estes instrumentos, vou pedir para minha mãe comprar para mim. Deve ser divertido tocar", disse ela.

Do piso A do TCA emergiu a nova orquestra do NEOJIBA. A OCA tem como base os membros da antiga OPE (Orquestra Pedagógica Experimental), que cresceu em qualidade e quantidade, com muito esforço, trabalho e estudo, deixando o titulo de experimental e dando um importante passo a sua frente.

A tradicional feira da Fraternidade é promovida pela comunidade paroquial sob o comando do Padre Luis Freitas, tendo como objetivo arrecadar fundos para ajudar as obras sociais da Paróquia Nossa Senhora da Vitória (Largo da Vitória). A feira também contou com barracas de gastronomia nacional e internacional, mostras de artesanato, brechós, barraca da sorte e a Tenda das Artes, que expôs obras de artistas plásticos, exibiu vídeos e promoveu oficinas artísticas.

sábado, 7 de novembro de 2009

J2J se apresenta no Prêmio Educadores Inovadores

O multicultural público do evento aplaude de pé a apresenação da J2J

Nesta sexta-feira, 06 de Novembro, a Microsoft e seus convidados receberam um belo presente do Governo da Bahia. A Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho (J2J), sob a regência de Ricardo Castro, fez um concerto impecável no Museu de Arte Moderna (MAM), para os cerca de 400 convidados dos mais diversos países do mundo. Eles apreciaram, dançaram e se emocionaram ao som da orquestra.

A J2J abriu a apresentação com a Dança Húngara n° 4 de Brahms e estreou de forma brilhante a Sinfonia n° 9 em Mi menor, op. 95 “Novo Mundo” de Antonín Dvorák. Após o intervalo para que as premiações do evento fossem entregues, a orquestra retornou ao palco para executar um repertório latino: foi desde o baião do Batuque, de Lorenzo Fernandez, até o Choro bem sincopado de Tico-tico no Fubá, de Zequinha de Abreu, que levaram os convidadosao delírio, com direito a trenzinho, embalados pela animada música. Antes, o regente convidado Samuel Robles, do Panamá, tomou a batuta em suas mãos e de forma dançante e envolvente regeu o Danzón n° 2 de Arturo Marquez, contando com Ricardo Castro ao piano. No merecido bis, os jovens tocaram animadamente Os Toureadores da Suíte Carmem, de Bizet, que ganhou um mini coral formado pelo público, que a esta altura já estava todo de pé, cantando e dançando. Estiveram presentes no evento de gala o Governador da Bahia, Jaques Wagner, a primeira-dama Fátima Mendonça, o Vice Presidente de Produtos Educacionais da Microsoft, Michael Golden e o presidente da Microsoft Brasil, Michel Levy.

O Prêmio Microsoft Educadores Inovadores é um Concurso que valoriza projetos que utilizam a tecnologia para revolucionar o ensino e o processo de aprendizagem das escolas brasileiras. Reconhecendo os melhores projetos educacionais desenvolvidos por educadores e gestores da rede pública pertencentes a Núcleos de Tecnologia Educacional , escolas públicas municipais ou estaduais, ONGs, fundações e escolas técnicas.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Franceses ministram oficinas de lutheria para o NEOJIBA

Os luthiers Christian Rault e Marie Murgue com a mão na massa

Entre os dias 02 e 09 de novembro uma equipe de profissionais franceses realiza oficinas de lutheria com os músicos do NEOJIBA. O luthier de cordas Christian Rault, a luthier de sopros Marie Murgue, coordenados por Philippe Bachman, irão ensinar a arte de restaurar instrumentos para alguns integrantes do projeto que deverão repassar seus conhecimentos aos demais componentes.

Nas oficinas, os alunos têm a oportunidade de reparar seus instrumentos e aprender de perto todo o processo de reforma, auxiliando e observando o trabalho dos artesãos. Segundo Luciano Afro, aluno de lutheria “sempre gostei de consertar instrumentos, muito antes de entrar no NEOJIBA já fazia isto, e por falta de incentivo não pude levar à frente. Aqui tenho material, professores e o incentivo que precisava. Tem sido muito produtivo.”

Christian Rault é luthier de cordas há 24 anos, formado pelo Instituto Internacional de Lutheria de Cremona, na Itália. Ele tem atuado em vários países – entre eles Espanha, México, Suíça, Marrocos e Cuba – ministrando aulas de lutheria. Marie Murgue é formada como luthier de sopros pelo Institut Technique Europeen des Metiers de la Musique (ITEMM), na cidade de Le Mans, França. Ela tem atuado intensamente ao longo de seis anos na arte da lutheria.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Quartetos da J2J se apresentam em Camaçari

Conduzidos por Richard Young, os quartetos da J2J interpretam obra de Shostakovich

Na última quarta-feira, 28 de outubro, a população camaçariense teve o prazer de ouvir a Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) e os Quartetos de Cordas da Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho (J2J) no Teatro Cidade do Saber, em Camaçari. A casa estava cheia, e contou com a presença de cerca de 500 crianças e jovens, integrantes de projetos sociais locais, que, em sua grande maioria, estavam assistindo a uma orquestra sinfônica pela primeira vez.
O jovem Abner Pinto, fagotista da J2J, abriu o concerto ao solar nos três movimentos do Concerto para Fagote e Orquestra em Si bemol maior, K.191 de Mozart, acompanhado pela OSBA, e sob a regência de Ricardo Castro. A jovem camaçariense Vanessa Fernandez, de 16 anos – mesma idade de Abner – ficou encantada em ver alguém tão jovem tocando tão bem. "Eu achava que só tocava na frente de uma orquestra quem era velho ou no mínimo adulto." E entre risos, completou: "Eu também quero tocar bem assim, se ele pode eu também posso".

Logo em seguida, foi a vez dos quartetos de cordas da J2J se unirem e formarem uma orquestra de câmara, para tocar o belo e profundo Quarteto de Cordas n° 8 em Dó menor op.110, de Dmitri Shostakovich. A extraordinária obra é bem característica do compositor, onde estão presentes a dança brutal do Allegro Molto com o pesado tema de guerra, o delicado sarcasmo do Allegretto, a sutileza do Largo de Abertura, lembrando uma fuga, e a profunda inteligência da construção musical dos dois últimos Largos. À frente dos quartetos estava o renomado violista da Vermeer String Quartet de Chicago, Richard Young, que esteve na cidade por duas semanas monitorando os jovens instrumentistas.

Para encerrar a tarde com chave de ouro a OSBA retorna ao palco para acompanhar a lindíssima interpretação, feita por Young, da peça Estudos Sobre Simples Sons (Concerto para viola nº. 2), composição contemporânea de Alexander Tchaikovsky (não o confundam com o conhecido compositor clássico Piotr Ilitch Tchaikovsky). Os quatro movimentos do concerto foram bem aplaudidos pelo público, que pôde presenciar a bela cadência improvisada com temas jazzísticos, acompanhados de piano e contrabaixo, em harmonia com o aveludado e intenso som da viola de Young. Um dia rico, de belas interpretações no Teatro do Saber.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Richard Young prepara quartetos de cordas da J2J

O renomado violista Richard Young faz intenso trabalho com as cordas da J2J

O violista do conceituado Vermeer String Quartet de Chicago, Richard Young, está em Salvador desde o dia 08 de outubro, com o objetivo principal de monitorar os quartetos de cordas da Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho (J2J), além de dar aulas aos integrantes do NEOJIBA. Young está fazendo um intenso trabalho de preparação com os jovens para, ensaiando o belíssimo – e supercomplexo – Quarteto de Cordas nº 8 de Dmitri Shostakovich. “Está sendo uma grande honra ter uma pessoa com o respaldo de Richard Young para nos ajudar com esta peça. Ele é muito bom e tem nos passado muita informação importante”, disse Filipe Vital, violinista da J2J e integrante de um dos quartetos que, no dia 28 de outubro, farão participação especial no Concerto Didático da OSBA, no Teatro Cidade do Saber, em Camaçari. Este concerto também contará com a participação do fagotista da J2J, Abner Pinto, como solista do concerto de Mozart em si bemol, com a OSBA, sob a regência de Ricardo Castro.

Richard Young é membro do Vermeer String Quartet desde 1985, e tem se apresentado nos mais prestigiados festivais ao redor do mundo. Já recebeu três indicações ao Grammy. É doutor honorário pela Dominican University e é um “Fellow” do Royal Northern College of Music em Manchester, Inglaterra. Young também realiza uma quantidade substancial de trabalhos voluntários em prol de crianças desassistidas – na People’s Music School em Chicago, e como supervisor do programa de extensão da International Music Foundation.

Luthier suíço ensina sua arte a jovens do NEOJIBA

O aluno de lutheria, David Matos, ao lado do luthier André-Marc Huwyler

Entre os dias 7 a 17 de outubro, o luthier suíço André-Marc Huwyler esteve em Salvador para ministrar aulas de lutheria para os integrantes do NEOJIBA interessados nesta aréa. Ele é um luthier com bastante respaldo no assunto, afinal são mais de 33 anos dedicados à arte da lutheria dos instrumentos de cordas. Para David Matos, aluno de lutheria e violoncelista da J2J, “o Andre é muito bom, o melhor que veio até agora em minha opinião. Além de entender bastante dos instrumentos de cordas ele sabe passar isso de uma forma muito fácil para nós”.

Além de ministrar a oficina de lutheria, Huwyler reparou muitos instrumentos dos integrantes do NEOJIBA, juntamente com os aprendizes, renovando não só os violinos, violas, cellos e contrabaixos, como também a motivação de quem os toca.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

NEOJIBA visita "El Sistema" na Venezuela

Integrante do NEOJIBA observa aula : aprender pedagogia venezuelana para aplicar na BA

Entre os dias 23 e 30 de setembro estiveram em Caracas, Venezuela, um grupo de 60 integrantes do NEOJIBA acompanhados de seu Diretor Fundador Ricardo Castro, para um intercâmbio pedagógico com a FESNOJIV, "El Sistema" de orquestras que existe há 34 anos e inspirou a criação do NEOJIBA. Os músicos tiveram a oportunidade de conhecer de perto as instalações e a pedagogia de alguns dos núcleos existentes na capital venezuelana, além de presenciarem diversos ensaios e concertos das principais orquestras locais.

Tendo como base da visita principalmente o Núcleo Infantil de Montalbán, os jovens puderam observar o dia-a-dia dos pequenos integrantes locais, e também dar e receber aulas. Conheceram também o moderníssimo Centro de Ação Social pela Música, nova sede da Fundação, que conta com uma estrutura de última geração: salas de ensaio para a prática instrumental e coral, biblioteca informatizada, salas de concertos, concha acústica ao ar livre, centro audiovisual, e muito mais. Lá, os nossos jovens puderam também acompanhar ensaios das orquestras Simón Bolívar e Teresa Carreño. Além disso, dois dos músicos baianos tiveram a oportunidade de passar os seus dias no Centro de Luthieria de Caricuao, aprendendo com grandes mestres as mais variadas técnicas dessa arte.

Foi também grande o número de concertos prestigiados por nossos jovens em Caracas, como os da Simón Bolívar A e B e Ensamble de Metais, sempre na Sala José Ribas, no belo Teatro Teresa Carreño. Numa dessas apresentações estava presente o Diretor Fundador da FESNOJIV, o maestro José Antonio Abreu que, diante de todo o público, fez questão de felicitar e dar as boas vindas à delegação baiana de músicos, que ficou de pé sob os aplausos da plateia.

Por fim, os jovens retornaram pra casa com a bagagem cheia de aprendizado, através de uma integração muito bem-sucedida, gerando diversos contatos para um futuro próximo, de bons frutos a serem colhidos. E mais do que isso, todos puderam ver de perto o milagre da multiplicação existente na Venezuela - onde nasceram grande número de orquestras, através do repasse do conhecimento -, dando um novo ânimo a todos para trazer essa realidade à nossa Bahia.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

OPE e J2J se apresentam em homenagem aos idosos

A J2J e a OPE se apresentam juntas, pela primeira vez, no palco do TCA

Na última terça-feira, 22 de setembro, os jovens do NEOJIBÁ apresentaram um concerto muito especial em homenagem ao mês do Idoso. Pelo segundo ano consecutivo, o CREASI (Centro de Referência Estadual de Atenção a Saúde do Idoso) levou mais de 1.000 pessoas à sala principal do Teatro Castro Alves e puderam assistir gratuitamente ao programa.
Em primeira mão puderam ver uma série de concertos, tendo como solistas alguns integrantes da Juvenil 2 de Julho (J2J), como o Concerto em Lá menor de Bach para Violino, executado por Rebecca Baratto, o concerto para Dois violinos de Vivaldi, tocado pelas irmãs Hosana e Helena Ibarra, o concerto para Fagote de Mozart, por Abner Silva e o concerto para Flauta Transversal e Harpa de Mozart, executado pela flautista Ana Júlia Bittencourt e a harpista Mariana Tudor.

Após os concertos, pela primeira vez ao longo destes dois anos de existência á J2J uniu-se à Orquestra Pedagógica Experimental (OPE), onde tocaram com muito vigor a Dança Húngara de Brahms. Logo depois, a J2J despede-se do publico – no dia seguinte 60 integrantes embarcaram para a Venezuela – se junta à platéia, e a OPE finaliza o programa com o Te Deum de Richard Wagner e o Carinhoso de Pixinguinha, com direito a dança e a um discreto coral formado pelo público. Como bis repetiram a Dança Húngara, só que desta vez sem a presença da J2J e das partituras, arrancando muitos aplausos da plateia.

O CREASI é a unidade de referência da Secretaria de Saúde do Estado para atendimento ao idoso. Localizado no Centro de Atenção à Saúde Professor José Maria de Magalhães Netto, próximo ao Iguatemi, o centro já atendeu, desde a inauguração, há seis anos, cerca de 12 mil pacientes. No local, é realizado um trabalho de assistência integral, com atenção individual e em grupo, oficinas terapêuticas, psicoterapia, grupos de convivência, assistência familiar e atividades educativas.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

J2J se apresenta em Euclides da Cunha

O jovem Yuri Azevedo rege a Orquestra Juvenil 2 de Julho em Euclides da Cunha

Neste último sábado, dia 19, a Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho foi até Euclides da Cunha para participar das celebrações do 76º aniversário de sua emancipação e do centenário da morte do escritor que dá nome à cidade. Na abertura do concerto, para entrar no clima do Sertão, a J2J tocou o arranjo de Asa Branca feito pela orquestra, com regência de Ricardo Castro, e logo em seguida executaram a Suíte Estância de Ginastera, arrancando muitos aplausos da platéia, que se animou com toda a energia e movimentação da orquestra. Na sequência, Ricardo passou a batuta para o jovem regente Yuri Azevedo, que conduziu o Batuque de Fernandez, Los Toreadores, da Suíte Carmem de Bizet, e para finalizar, o Tico-Tico no Fubá de Zequinha de Abreu.

Estiveram presentes no evento o Governador da Bahia, Jaques Wagner, o Secretário de Cultura da Bahia, Marcio Meirelles, a prefeita da cidade, Fátima Nunes, entre outras autoridades. Além deles havia uma praça lotada de pessoas que, em sua maioria, nunca puderam ver uma orquestra sinfônica. Segundo a euclidense Maria Aparecida Brito, “O máximo que já vimos aqui foi a Filarmônica de Irecê. A passagem de som de vocês foi um verdadeiro aprendizado para mim, pois desconhecia o nome e o som de muitos dos instrumentos que estavam ali. Foi muito emocionante ver uma Orquestra Sinfônica de perto aqui.”

O município de Euclides da Cunha fica no nordeste baiano e, ainda hoje, guarda em sua extensão marcas da guerra de Canudos. Na principal praça da cidade, a da Bandeira, está a casa que serviu de quartel-general para as forças republicanas. Até mesmo o nome da região tem ligação com a história. Ele é uma homenagem ao escritor e jornalista Euclides da Cunha que registrou no livro, “Os Sertões”, a saga de Antônio Conselheiro, um dos lideres do movimento.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Começo de semestre agitado no NEOJIBÁ

O maestro Christopher Warren-Green conduz o ensaio da J2J no palco do TCA

A Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho (J2J) retornou da Turnê Nordeste a todo vapor. Desde que voltaram, os jovens vêm dando continuidade à exigente rotina diária de estudos, tendo a oportunidade de trabalhar com grandes músicos convidados. Entre as presenças ilustres, a J2J recebeu o regente titular da London Chamber Orchestra, Christopher Warren-Green e sua esposa, a violinista Rosemary Furniss, além dos venezuelanos membros da Simón Bolívar, Eduardo Salazar (violino) e Rafael Payare (trompa). Com muita dedicação e ajuda dos professores de primeira linha, a J2J começa a ensaiar um novo repertório, executando obras como a Sinfonia do Novo Mundo, do compositor tcheco Antonín Dvořák.

No próximo dia 19 a J2J se apresenta em Euclides da Cunha, na celebração do 76º aniversário de sua emancipação e do centenário da morte do escritor que dá o nome à cidade. Já no dia 22/09 (terça-feira), o NEOJIBÁ marcará presença na sala principal do Teatro Castro Alves, às 15h30, em comemoração ao Mês do Idoso. São esperados cerca de mil idosos, trazidos pelo CREASI (Centro de Referência Estadual ao Idoso), que prestigiarão apresentações da OPE - Orquestra Pedagógica Experimental e de Concertos interpretados por alguns membros da J2J. Apesar de o evento ser feito especialmente para os mais velhinhos, todos estão convidados. A entrada é franca.

No dia seguinte, um grupo de 60 pessoas parte para a Venezuela, para passar uma semana conhecendo de perto o FESNOJIV, sistema que inspirou o NEOJIBÁ, e que há mais de 30 anos iniciou uma revolução musical naquele país. Lá, os jovens terão a oportunidade de se integrar às orquestras locais, de receberem aulas e até de ensinar para as crianças menores.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

J2J faz Turnê pelo Nordeste em agosto - HOTSITE

Entre os dias 03 e 14 de agosto, a Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho (J2J), primeira orquestra formada pelo NEOJIBÁ, pega estrada para realizar a sua primeira turnê. Após o sucesso das apresentações em São Paulo e Campos do Jordão, no início de julho, chegou a vez de os jovens entrarem de cabeça no Nordeste Brasileiro, passando por sete capitais, e culminando com um concerto de gala no TCA, às 20h do dia 14/08. Em todas as apresentações, o ingresso custará apenas 1 Real.

O objetivo mais amplo do NEOJIBÁ (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia) é promover o desenvolvimento social e urbano por meio da educação musical. Com base nisso, surgiu o interesse para a concretização de uma turnê que possibilite a realização de apresentações públicas em sete capitais do Nordeste Brasileiro. A partir desta turnê, a J2J realizará oficinas de capacitação em cada capital visitada, apresentações públicas a escolas e outros projetos e venda de ingressos à população por um custo acessível, democratizando o acesso à cultura.

Uma das principais intenções da turnê - que passará por Aracaju, Maceió, Recife, João Pessoa, Natal, Fortaleza e Salvador - é justamente o intercâmbio com projetos de orquestras juvenis em cada cidade. A possibilidade de repassar o conhecimento já adquirido pela J2J, e também a absorção do que já foi aprendido por outras orquestras, tem um grande valor no desenvolvimento musical desses jovens, com toda a troca de experiências entre as partes.
A Turnê Nordeste NEOJIBÁ conta com o patrocínio do Bradesco, através da Lei Rouanet.

A seguir, o roteiro completo de apresentações:

Aracaju (SE)
Teatro Tobias Barreto
03/agosto - 20h30

Maceió (AL)
Teatro Gustavo Leite
05/agosto - 20h

Recife (PE)
Teatro Santa Isabel
06/agosto - 20h

João Pessoa (PB)
Teatro Paulo Pontes
08/agosto - 20h

Natal (RN)
Teatro Alberto Maranhão
09/agosto - 20h

Fortaleza (CE)
Theatro José de Alencar
11/agosto - 19h30

Salvador (BA)
Teatro Castro Alves
14/agosto - 20h

Músicos do NEOJIBÁ fazem Turnê nos EUA com a YOA

Brasileiros em Boston: Priscila (de rosa), Nataly (de verde) e Francisco (com violino)
foto: Ana Gabriela



Desembarcaram em Boston (EUA) na última segunda-feira, dia 13, para participar da turnê 2009 da YOA - Youth Orchestra of the Americas (Orquestra Jovem das Américas) três jovens músicos do projeto NEOJIBÁ. Francisco Bittencourt, Priscilla Figueiredo (violinos) e Nataly do Vale (viola) fazem parte do seleto grupo de jovens que integra essa prestigiosa orquestra na turnê 2009 que contará com 11 apresentações por cidades dos Estados Unidos e Canadá. A preparação se faz em Boston durante uma residência de 2 semanas nas dependências do New England Conservatory.

Os três músicos do NEOJIBÁ, selecionados por Ricardo Castro entre os membros da Juvenil 2 de Julho, trabalham durante a residência em Boston com grandes instrumentistas vindos das principais orquestras do mundo e vão atuar durante a turnê sob a regência de grandes maestros como Carlos Miguel Prieto, Benjamin Zander e Jean-Pascal Hamelin. No programa constam grandes obras do repertório incluindo a Sexta Sinfonia de Shostakhovich, a Nona Sinfonia de Dvorak e a Quinta Sinfonia de Beethoven.

Depois de Boston e região, a turnê passará pelas cidades de Charlevoix, Quebec City e Knowlton no Canadá, em Washington D.C., Bethesda e Easton nos EUA. No final da turnê, Priscilla e Nataly farão mais dois concertos extras com uma grupo de cordas da YOA em um Festival de Musica de Câmera em Easton.

Ricardo Castro, o diretor fundador do NEOJIBA, também faz parte da equipe de monitores da YOA e está acompanhando a preparação da orquestra em Boston até o inicio da turnê dia 24 de Julho. Em seguida voltará para o Brasil para preparar e reger a Juvenil 2 de Julho na Turnê Nordeste que começa dia 3 de Agosto e que passará por 7 capitais, terminando com um concerto de gala no TCA na sexta-feira dia 14 de Agosto.

A Orquestra Jovem das Américas é uma orquestra sinfônica composta por 75 músicos selecionados por audição em mais de 25 países das Américas, com idades entre 18 e 28 anos. Em 2009, os jovens integrantes da YOA estão em residência no New England Conservatory para se tornarem um conjunto unificado, melhorando o desempenho através de ensaios diários e tocando música de câmara em conjunto. Além disso os integrantes da YOA trabalharão com as crianças e jovens da comunidade de Boston. http://www.yoa.org/

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Juvenil 2 de Julho em Campos do Jordão: Sucesso absoluto

Ricardo Castro rege a J2J no concerto histórico em Campos do Jordão


Não podia ser mais perfeito. A apresentação da Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho no Festival de Inverno de Campos do Jordão foi memorável, e certamente sairá como um dos mais marcantes do Festival, ao final do evento. Com um repertório bastante diversificado - passando por compositores europeus e latino-americanos -, os jovens, sob regência de Ricardo Castro, foram capazes de pôr o seletíssimo público de Campos do Jordão para aplaudir de pé a cada uma das obras executadas.

Sob um frio de 13 graus, a J2J iniciou o concerto às 16h na Concha Acústica da Praça Capivari com a Suite Carmen n.1, de Bizet. Em seguida, o público pôde sentir a força da Suite Estancia, de Ginastera. Depois, puderam apreciar execuções impecáveis da Abertura de Os Mestres-Cantores de Nurembergue, de Wagner, e de Romeu e Julieta, de Tchaikovsky. A platéia esquentou de vez depois que a orquestra tocou o animado Danzón n.2, de Marquez e o Batuque, de Fernandez, em ritmo de baião. Para fechar a apresentação de modo triunfal, Ricardo Castro passou a batuta para o jovem Yuri Barbosa, de 17 anos, que conduziu magnificamente a Marcha Eslava, de Tchaikovsky. Com a platéia ainda aplaudindo de pé, a orquestra emendou o Tico-tico no Fubá, levando a praça abaixo. O sucesso foi tanto, que aos pedidos de "Mais um! Mais um!", Ricardo regeu uma versão improvisada de Asa Branca, tocada de ouvido pela orquestra, sem partituras, fechando a noite de maneira apoteótica.

No meio da emocionada platéia haviam presenças ilustres, como o Secretário de Cultura da Bahia, Márcio Meirelles, o spalla da OSESP, Emmanuele Baldini, e o Diretor Artístico do Festival, o maestro Roberto Minczuk, que se derreteu em elogios à orquestra. Minczuk também ficou encantadíssimo com a performance do jovem maestro Yuri e, para orgulho de todos, convidou-o para permanecer até o final do Festival tomando aulas no concorridíssimo curso de regência com grandes professores da França. Sucesso absoluto.
***
Clique AQUI para conferir a repercussão do concerto no site do Festival.
Clique AQUI para conferir o álbum de fotos da apresentação, no site do Festival.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

J2J toca no Festival de Campos do Jordão



A Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho (J2J), sob a regência do maestro Ricardo Castro, será a primeira orquestra baiana a se apresentar no “40º Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão”, considerado o maior e mais importante evento de música clássica da América do Sul. A J2J se apresentará no mesmo fim de semana que a OSESP, a Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo e o Coro de Câmara da OSESP. Comemorando 40 edições este ano, o Festival terá como tema “O Ano da França no Brasil” e fará uma homenagem a Heitor Villa-Lobos.

Primeira formação do projeto NEOJIBÁ (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia), a J2J fará sua estréia fora da Bahia com duas apresentações no estado de São Paulo. No dia 04 de julho no SESC Itaquera, às 15 horas, na capital paulista e no domingo dia 5, no Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, na Concha Acústica da Praça do Capivari, às 16 horas. Sob a regência de Ricardo Castro, a orquestra executará obras de compositores sul americanos e europeus.

O grupo de 100 pessoas embarca no Aeroporto Luis Eduardo Magalhães às 18 horas do dia 03 de julho rumo à capital paulista. Após o concerto no SESC Itaquera no dia 4, a Orquestra viaja para a Campos do Jordão, onde no dia 05 de julho fará sua estréia no mais prestigiado festival de música clássica da América do Sul. No dia seguinte ao concerto, os jovens aproveitarão o dia 06 para visitar o Festival, tomar aulas e assistir o concerto da Orquestra Experimental de Repertório, que terá como solista ao piano Ricardo Castro.

A Juvenil 2 de Julho fará estes concertos a convite da Santa Marcelina - Organização Social de Cultura e do SESC Itaquera, sendo que a produção da viagem conta com o patrocínio da Odebrecht, Ademi Bahia, Sinduscom Bahia e Fundação Clemente Mariani.

A Orquestra retorna para Salvador no dia 7 com chegada prevista para as 14:30 no Aeroporto Luis Eduardo Magalhães.

domingo, 21 de junho de 2009

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Concertos com a OSBA e no São João do Pelourinho

Ricardo Castro e J2J em dose dupla no dia 10: Em concerto histórico com a OSBA e no São João do Pelô

O último dia 10 de junho ficará para sempre marcado na história da música sinfônica na Bahia. Neste dia estiveram reunidos na sala principal do Teatro Castro Alves, pela primeira vez, 140 músicos da Bahia executando uma obra sinfônica. Isso se deu com a união da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) e da Orquestra Sinfônica 2 de Julho (J2J), que juntas tocaram a Abertura da ópera Mestres Cantores de Nuremberg, de Richard Wagner.

Mais que a simples união de duas orquestras, ali estava representada uma nova fase na música de concerto na Bahia que vem evoluindo espantosamente sob a gestão de Ricardo Castro. Alunos e professores estavam tocando lado a lado, e até quem estava na platéia pôde sentir a emoção de cada músico, pelo vigor com que se apresentaram. O estudante de jornalismo Marcelo Cerqueira, que assistia ao concerto, foi um dos que sentiram essa sinergia. “Não entendo muito bem de música clássica, mais o que eu ouvi era muito bom, forte. Esperava dormir no concerto, mas não consegui desgrudar os olhos um instante sequer”, confessou.

Neste mesmo dia, às 20h, os integrantes da J2J foram ao Terreiro de Jesus, no Pelourinho, onde fizeram a abertura do São João do Pelô. Ali executaram obras clássicas e alegres, como Carmen de Bizet, Malambo de Ginastera, e Batuque, de Fernandez, até o contagiante Tico-Tico no Fubá, em clima de forró, com direito a zabumba e triângulo. O ponto alto da noite foi a execução sem partitura do clássico de Luiz Gonzaga Asa Branca, com um arranjo feito "de ouvido" pelos próprios músicos e pelo regente Ricardo Castro. Com chapéus de palha na cabeça, improvisações e muita animação, a orquestra surpreendeu a todos os presentes, arrancando muitos aplausos.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Visita à comunidade Pontos Coração

Crianças da Fazenda do Natal assistem atentamente à apresentação da J2J com Ricardo Castro

Neste último domingo, 7 de Junho, os integrantes da Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho (J2J) tiveram uma tarde muito especial. Eles foram à Fazenda do Natal, no povoado de Passagem dos Teixeiras, a 40 km de Salvador, para conhecer a comunidade da Pontos Coração – movimento católico em favor de crianças rejeitadas e desfavorecidas. Na visita, os jovens do NEOJIBÁ fizeram uma pequena apresentação e entregaram uma boa quantidade de donativos, entre brinquedos, agasalhos e alimentos.

Os músicos da J2J, sob a direção de Ricardo Castro, se apresentaram na capela da comunidade, tocando a partes da Suíte Carmen, de Bizet, além de um arranjo improvisado e divertido de Asa Branca de Luiz Gonzaga, entre outras músicas regionais. Depois, numa confraternização no refeitório, os músicos e as crianças da comunidade brincaram, cantaram e dançaram. Segundo Tati, uma das voluntárias francesas, moradora da fazenda, essa visita faz muito bem às crianças, despertando a sensibilidade artística deles através da música, abrindo seus ouvidos e corações, e conhecendo de perto sonoridades que eles nunca tiveram a oportunidade de apreciar.

Pontos Coração foi fundado em 1990 pelo padre Thierry de Roucy, que naquela época era superior da congregação dos Servidores de Jesus e Maria na França. Hoje mais de 200 pessoas de 19 nacionalidades diferentes estão envolvidas como missionárias na Obra Pontos Coração, em 21 países. Na Fazenda do Natal vivem cerca de 50 pessoas, entre voluntários, famílias, crianças, pessoas idosas e doentes.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Hugo Chávez e o NEOJIBÁ

Chávez parabeniza os jovens do NEOJIBÁ e Ricardo Castro, durante apresentação no Palácio de Ondina

Na última terça-feira, 26, o NEOJIBÁ teve a oportunidade de fazer uma apresentação especialíssima para o presidente venezuelano Hugo Chávez, na ocasião de sua vista ao Palácio de Ondina, residência oficial do Governador.

A apresentação, que aconteceu na parte externa do Palácio, contou com a participação da soprano suíça Brigitte Hool e de membros da Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho, sob a regência de RIcardo Castro, que também tocou violão na ocasião, e de um coral da Orquestra Pedagógica Experimental preparado por Paulo Novais. O presidente Chávez se emocionou com a execução da canção popular venezuelana Cuando Seas Grande e de trechos dos hinos venezuelano e brasileiro, além d e trechos sa Suite Carmen, de Bizet. Ele disse que o povo brasileiro é cheio de energia e musicalidade, e que ama cada vez mais a Bahia e o Brasil.

O presidente Chávez e o governador Jaques Wagner assinaram um termo de cooperação para estreitar as relações culturais entre a Venezuela e a Bahia.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Orchestre de la Suisse Romande

O maestro Benoît Willmann conduz o ensaio da J2J

Entre os dias 10 e 15 de maio, a Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho (J2J) teve o prazer de receber quatro músicos da Orchestre de La Suisse Romande, da Suíça. O trombonista Andrea Bandini, o trompista Pierre Briand, o trompetista Gérard Métrailler e o maestro e clarinetista Benoît Willmann trabalharam com os naipes, ministraram Master Classes e deram aulas individuais aos integrantes da orquestra. O maestro Willmann, que também estava na cidade para se apresentar com a OSBA, conduziu ensaios gerais com a J2J e se encantou com os jovens instrumentistas e o projeto NEOJIBÁ.

Segundo Indira Monteiro, clarinetista da J2J, essas constantes vindas de professores de fora têm servido como incentivo e apoio, dando uma convicção plena de que ela está no caminho certo. "Benoît parecia que tinha uma varinha de condão na mão, a cada toque que ele dava tinha o poder de mudar completamente a sonoridade da pessoa, como num passe de mágica. Qualquer instrumento na mão dele se tornava o melhor do mundo... ele é divino! Espero que retorne muitas vezes.", finalizou.

A Orchestre de La Suisse Romande tem mais de 90 anos de existência, conta com 112 membros permanentes, que são convidados constantemente para grandes festivais de músicas, se apresentando nos maiores salões de concerto do mundo. Atualmente a orquestra é dirigida pelo maestro polonês Marek Janowski.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Oficina de Lutheria

Os luthiers Cristhian Rault e Déborah Lémery em serviço
No período de 27 de abril a 1º de maio, os integrantes do projeto NEOJIBÁ tiveram o privilégio de receber a visita de um grupo de profissionais franceses que realizaram uma oficina de lutheria. A equipe, coordenada por Philippe Bachman, era formada pelo luthier de cordas Christian Rault, a luthier de sopros Déborah Lemery e o reparador de pianos Patrick Sinigaglia. Os jovens do NEOJIBÁ puderam aprender de perto todo o processo, auxiliando e observando o trabalho dos artesãos, ao mesmo tempo que tiveram seus instrumentos reparados e melhorados. No último dia, foi ministrada uma palestra abordando a arte da lutheria.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Convocação para Seleção Pública - INSCRIÇÕES PRORROGADAS

O NEOJIBÁ – Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia – prorrogou as inscrições de seleção pública para a Orquestra Juvenil 2 de Julho. Os interessados têm até o dia 8 de maio (sexta-feira) para enviar seus dados. As provas serão no dia 9 de maio às 10h da manhã, no piso B do Teatro Castro Alves.

Estão abertas vagas para os seguintes instrumentos:
• Violoncelo
• Percussão
• Contrabaixo

As condições de participação são:
• Músicos entre 10 e 24 anos de idade que tenham conhecimentos básicos de teoria musical e solfejo, além da experiência instrumental.
• Disponibilidade para atividades de segunda a sexta-feira, das 14:00 às 17:00 hs e dois sábados por mês das 10:00 às 12:00 hs.
• Disponibilidade para viagens nacionais e internacionais.

Os músicos selecionados receberão Bolsa-auxílio de R$ 300,00 (trezentos reais), vale transporte e lanche.

O processo seletivo compreenderá provas de teoria musical e provas práticas de instrumento e percepção musical. Os interessados deverão enviar e-mail para audicaoneojiba2009@gmail.com, informando nome completo, instrumento e telefones para contato. Cada candidato receberá uma convocação por escrito com o horário da prova. Informações poderão ser obtidas pelo telefone: 3117-4844 e pelo e-mail info@neojiba.org.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Intercâmbio YOA - Abril/2009

Mauro Maur, Françoise Gadbois, Marilyn de Oliveira, Mary Ann Mumm e Angela Contreras

Entre os dias 13 e 26 de Abril, integrantes e professores da YOA - Youth Orchestra of the Américas, seleto grupo de virtuosos jovens instrumentistas das Américas - vieram para o Brasil para ensinar e trabalhar com o NEOJIBÁ.

Dentre os músicos que desembarcaram em Salvador estavam a contrabaixista colombiana Angela Contreras, a violoncelista brasileira radicada nos EUA Marilyn de Oliveira, a violinista norte-americana Mary Ann Mumm e, da Itália, o trompetista Mauro Maur e a pianista Françoise Gadbois. Além de ministrar Master Classes e dar aulas para os jovens da J2J e OPE, eles participaram da apresentação de Música de Câmera realizada no dia 23 de abril pelo NEOJIBÁ, tocando obras que foram desde Vivaldi, com os violinos, até o enérgico Bugsy de Morricone, interpretado por Maur no trompete.

Segundo Helder Passinho, monitor dos trompetes da J2J, a vinda desses grandes músicos fortalece o desejo nato de tocar mais e com mais qualidade, pois há uma constante ênfase na interpretação musical. "Sempre admirei as trilhas sonoras em que Mauro Maur tocou e tomar aula e tocar ao lado dele foi uma grande honra e traz um grande aprendizado para mim", finalizou Passinho.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Prêmio Braskem

J2J no Prêmio Braskem de Teatro, sob regência de Eduardo Torres

No último dia 14/04 (terça-feira) a Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho apresentou-se na sala principal do Teatro Castro Alves, na cerimônia do Prêmio Braskem de Teatro. Num concerto em que as artes cênicas uniram-se à música, os mestres de cerimônia Widotto Áquila e Márcia Andrade fizeram, de maneira didática e singular, relações belíssimas entre o vigor dos metais e o dos atores, as belas sonoridades das madeiras e as diáfanas atrizes, a importância das cordas e os diretores teatrais.

Sob a regência de Eduardo Torres, a J2J incluiu no repertório Batuque de Fernandez, Suíte Estância de Ginastera, Romeu e Julieta de Tchaikovsky e abertura dos Mestres Cantores de Wagner.

Uma apresentação que ficará na memória dos cerca de 1200 convidados, entre atores e representantes do cenário artístico baiano, presentes no Teatro castro Alves naquela noite.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Concerto de Páscoa - Camaçari

Ricardo Castro rege a J2J em mais um belo concerto em Camaçari

No último dia 12 de abril a Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho presenteou a população de Camaçari com um lindíssimo concerto de Páscoa, no Teatro Cidade do Saber. Com regência de Ricardo Castro, os jovens apresentaram músicas como a Abertura dos Mestres Cantores de Wagner, a Sinfonia Inacabada de Schubert, Finlândia de Sibelius - esta regida pelo percussionista da J2J Yuri Barbosa - e a Grande Páscoa Russa de Rimsky-Korsakov, em homenagem à especial data. Além dos integrantes da J2J, a oboísta Eldevina Materula esteve presente no concerto para reforçar aos oboés e enriquecer a apresentação com seu belíssimo som e enorme experiência.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Concertos Didáticos - Abril

Ricardo Castro mostra a diferença entre um violino e uma viola

Nos dias 02 e 06 de Abril, a Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho (J2J) apresentou mais dois dos seus Concertos Didáticos na sala principal do Teatro Castro Alves, dessa vez para um público especial: integrantes do Projeto Axé e professores, coordenadores e diretores de escolas da cidade.

Recebendo crianças do Projeto Axé, além de mais de uma centena de presentes, a apresentação do dia 02 teve como destaque a execução da Grande Páscoa Russa, de Rimsky-Korsakov. De uma completamente didática a música foi dividida em trechos tocados por cada naipe, para uma melhor compreensão da peça e da formação da orquestra. Os meninos do Projeto Axé ficaram entusiasmados com a apresentação dos instrumentos, olhando fixamente para a orquestra e ouvindo com atenção a cada palavra dita por Ricardo Castro. Quando perguntados se tinham interesse em tocar algum daqueles instrumentos, quase todos levantaram a mão. Aguardem, pois se depender da vontade deles uma nova orquestra será implantada lá.

No dia 06, a apresentação da J2J foi precedida pela da Orquestra Pedagógica Experimental (OPE), que é composta por jovens de 08 a 18 anos. Para quem viu a OPE se apresentar em dezembro na Concha Acústica, pôde ver o progresso dos pequenos nestes quatro meses. Já no concerto da orquestra juvenil, foram executadas Finlândia, de Sibelius – regida pelo jovem percussionista da J2J, Yuri Azevedo –, Abertura dos Mestres Cantores de Nurembergue de Wagner, entre outras. O público pôde ver e ouvir o som de cada naipe da orquestra, entendendo todo o seu funcionamento e diferentes nuances. Os presentes certamente deixaram o Teatro revigorados com as belas sonoridades mostradas ali.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Visitas Ilustres: Ivete Sangalo e Antonio Meneses

Ivete Sangalo e Antonio Meneses assistem encantados ao ensaio da J2J

Parecia brincadeira de 1º de abril, mas foi a mais pura verdade. Na última quarta-feira a Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho recebeu as ilustres visitas do grande violoncelista brasileiro Antonio Meneses e da cantora Ivete Sangalo – que dispensa apresentações –, prestigiando o ensaio geral do dia. Os jovens fizeram uma execução especial do Tico-Tico no Fubá, com direito a gente caindo no samba, e encantou a estrela baiana. Entre uma brincadeira e outra, Ivete declarou que admira muito os músicos de orquestra, pela complexidade que é conhecer a teoria musical e sua prática. Ela também incentivou os jovens a nunca desistirem da música e, ainda maravilhada com o que havia acabado de ouvir, finalizou: "Vocês são a cara da Bahia!".

sexta-feira, 20 de março de 2009

Músicos convidados

Os jovens da Juilliard School em participação especial no Concerto Didático

Neste primeiro semestre, o NEOJIBÁ tem tido a honra de contar com o apoio de vários músicos ilustres do cenário nacional e internacional. Os mais competentes profissionais vieram a Salvador especialmente para trabalhar com os mais de 130 integrantes do projeto, ensinando, orientando e tocando.

Desde o início de março desfrutamos da presença da oboísta principal da Orquestra de Câmera Portuguesa, Eldevina Materula – ou Divina, como é carinhosamente chamada –, que tem compartilhado com a família das madeiras sua enorme experiência em orquestras. Ela tem ministrado master classes e aulas individuais com os oboés, além de dirigir magnificamente os ensaios das madeiras. Ainda em março esteve em Salvador por duas semanas um grupo de nove estudantes da conceituada Juilliard School, de Nova York, para trabalhar com os integrantes do NEOJIBÁ. Os instrumentistas, também jovens, deram aulas diariamente, trocaram experiências e ainda fizeram uma belíssima participação no concerto didático do dia 11 de março, no TCA. O grande interesse e desejo de apoiar o NEOJIBÁ fizeram com que os músicos americanos chegassem até a criar um blog falando sobre o projeto (neojibanyc.blogspot.com), com o objetivo de promover o intercâmbio e ajudar o projeto. Além disso, eles doaram um violoncelo e diversos outros materiais. A intenção deles é que a iniciativa se repita anualmente.

O NEOJIBÁ contou também com os spallas da OSESP, (Orquestra Sinfônica de São Paulo) Cláudio Cruz e Emmanuele Baldini. Cruz regeu a Orquestra Sinfônica 2 de Julho com muito vigor, ensaiando o Romeu e Julieta, de Tchaikovsky. Já Baldini, além de ouvir as audições dos violinos da J2J, dirigiu os ensaios das cordas e deu aulas para os violinos. No final do mês, veio diretamente de Belém do Pará o trompista da Orquestra Sinfônica do Teatro da Paz, Sóstenes Siqueira, para trabalhar e reforçar o naipe.

Como dá para notar, não faltaram atividades para os meninos do NEOJIBÁ, e muito mais está vindo por aí.

domingo, 8 de março de 2009

Concerto 400 anos Tribunal de Justiça - BA

Carlinhos Brown canta junto com a Orquestra Juvenil 2 de Julho

Abrindo a temporada de apresentações de 2009, no último dia 06 de março (sexta-feira), a Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho participou das comemorações dos 400 anos do Tribunal de Justiça da Bahia. Acompanhados do cantor e compositor Carlinhos Brown, que dispensa qualquer tipo de apresentação, e do belo coral Vozes Reveladas, regido por Sergio Souto, a Juvenil 2 de Julho fez um deslumbrante concerto com músicas como a Páscoa Russa de Rimsky Korsakov, Danzon n° 2 de Arturo Márquez, e o animado chorinho Tico-tico no Fubá de Zequinha de Abreu. Além disso, acompanharam Brown na música Velha Infância, de sua autoria, com um arranjo para orquestra feito por Jamberê Cerqueira, tubista da J2J e estudante de composição da UFBA, que o fez a pedidos de Carlinhos, e que foi digno de muitos elogios.

terça-feira, 3 de março de 2009

Viagem à Venezuela

Sala de apresentação de um dos núcleos, em Caracas


No mês de fevereiro deste ano uma equipe técnica do NEOJIBÁ viajou à Venezuela, com o objetivo de conhecer o funcionamento e a pedagogia da FESNOJIV – Fundación del Estado para el Sistema Nacional de las Orquestas Juveniles de Venezuela. Durante uma semana eles puderam ver de perto o aclamado projeto implantado há 33 anos, que inspirou Ricardo Castro a lançar o NEOJIBÁ na Bahia, e que desde o início tem sido uma grande aliada. A equipe teve reuniões com os diretores e visitou os principais núcleos do país, com a finalidade de introduzir aqui o que tem sido bem sucedido por lá.

Segundo Paulo Novais, coordenador pedagógico do NEOJIBÁ, a viagem foi muito enriquecedora, principalmente pela oportunidade de conhecer melhor a metodologia da FESNOJIV. Juntamente com a bagagem vieram muitos projetos a serem implantados futuramente.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

I Oficina Pedagógica

Os membros do Projeto Neojibá - Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia - participam de 16 a 18 de fevereiro, no Teatro Castro Alves, da primeira Oficina Pedagógica. As aulas são destinadas à capacitação de 80 jovens músicos para atuarem como monitores dos novos núcleos do projeto, que serão abertos em 2009.

A oficina de 15 horas será ministrada pelo maestro paulista João Maurício Galindo e pelo professor Joel Barbosa, que irão destacar a metodologia para o ensino coletivo de instrumentos de sopro e cordas. A partir de março, os jovens músicos continuam o aprendizado com o curso de Metodologia para a Iniciação Musical, oferecido pela professora Carmen Mettig, diretora do Instituto de Educação Musical - IEM.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Retrospectiva NEOJIBÁ


O NEOJIBÁ iniciou suas atividades em junho de 2007, sob gestão da OSBA e direção de Ricardo Castro. Seu primeiro núcleo começou a funcionar no Teatro Castro Alves em 13 de setembro de 2007 e atualmente conta com cento e trinta jovens, incluindo os integrantes da Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho (J2J) e da Orquestra Pedagógica Experimental (OPE). Esta última é composta por 50 crianças de 8 a 16 anos, que têm atividades de segunda a sexta-feira. Recebem o apoio técnico dos monitores da orquestra juvenil e de músicos da OSBA, e realizam ensaios, aulas de percepção e teoria musical com os integrantes mais novos. Outros têm apenas aulas individuais de instrumento, buscando aprimorar-se tecnicamente para ingressar na J2J. A Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho é composta por 80 integrantes de 10 a 25 anos, que vêm se apresentando regularmente desde outubro de 2007, e tendo atividades de segunda a sexta-feira, com ensaios gerais coordenados pelos músicos profissionais envolvidos no projeto. Já os ensaios de naipe (de cada instrumento) são de responsabilidade dos jovens monitores que viajaram à Venezuela e receberam formação para essa atuação. Músicos da OSBA também participam, periodicamente, dando apoio técnico aos naipes ou particularmente a algum dos integrantes do NEOJIBÁ que necessite reforço.
Com um público total estimado de 13.000 pessoas, os jovens realizaram diversas apresentações públicas desde 2007: na sala principal do Teatro Castro Alves, na Câmara dos Vereadores, Faculdade de Direito, Teatro do ICEIA, Pelourinho, Alagoinhas, Costa do Sauípe, Camaçari, Palacete das Artes, Concha Acústica, entre outros. No final de 2008, a J2J fez três de suas apresentações mais importantes e marcantes: Em seu concerto de Natal, na Concha Acústica, recebendo mais de 2000 pessoas, num concerto impecável e emocionante; na Cúpula da América Latina e Caribe, realizada na Costa do Sauípe, onde se apresentaram para o presidente Lula e os chefes de estado do continente; e no “Canto Geral”, evento que reuniu no TCA grandes nomes da música latino-americana, como Mercedes Sosa, Suzana Baca, Cecília Todd e Carlinhos Brown.
Além de Ricardo Castro, eles atuaram sob a batuta de regentes como Osvaldo Ferreira, Renato de Aguiar, Rodolfo Fischer, Antoni Wit, Alex Klein e os venezuelanos Manuel López, Paul Rodriguez e Carlos Izcaray, estes últimos enviados pelo FESNOJIV. Em julho de 2008, a J2J teve a oportunidade de assistir e participar das atividades de preparação da Youth Orchestra of the Américas (YOA) em Costa do Sauípe, convivendo com os músicos e professores de várias partes do mundo, e recebendo aulas e master classes. Em outubro, os violinistas da J2J e OPE participaram do workshop sobre o Método Suzuki, ministrado pelo violinista japonês Takeshi Kobayashi. Os integrantes também já contaram com workshop de regência oferecido por Manuel López, além de várias Master Classes, como as do trompetista Jean-François Michel, dos violoncelistas Paul Wiando e Ilmari Hopkins, das violinistas Kathlyn Ebrrlz, Virginie Robilliard, Elodie Bugni, da oboísta Eldevina Materula, e de músicos da YOA, OSESP e FESNOJIV.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Intercâmbio com a Noruega

Quarteto de flauta de Mozart: Eirik Kvindesland, Rose Elin, Geisa dos Santos e Miriam Sales



No dia 15 de janeiro de 2009, duas jovens musicistas do NEOJIBÁ embarcaram num avião com destino à cidade norueguesa de Stavanger. A violista Geisa dos Santos, 20, e a violoncelista Mirian Sales, 19, integrantes da Orquestra Juvenil 2 de Julho (J2J), foram as escolhidas para participar de um programa de intercâmbio com a escola de música da Universidade de Stavanger. O convite partiu do violoncelista Ilmari Hopkins, que conheceu o projeto de perto pela primeira vez em julho de 2008, depois de um intercâmbio da J2J com a Youth Orchestra of Americas (YOA). Depois disso, já esteve duas vezes na cidade para trabalhar com os jovens.

Geisa e Mirian têm feito atividades diárias na escola de música, estudando principalmente música de câmara, técnica, e ensaiando com quartetos, quintetos e orquestra. Além disso, têm acompanhado ensaios da Orquestra Sinfônica de Stavanger e assistido a concertos. E claro, têm passeado bastante, conhecendo as montanhas, a neve e a cidade de Stavanger.

Sobre a viagem, Mirian declarou: "Com certeza é uma experiência única. Estou imensamente grata a Deus, a Ricardo e a Ilmari. Eu nunca pensei que algum dia poderia conhecer a Europa, até porque nunca tinha saído de Salvador. Foi uma grande conquista em minha vida". Já Geisa disse que esta "é uma experiência grandiosa, estou aprendendo muito com a música, com a vida, com as saudades, me tornando uma pessoa cada vez mais apaixonada pela música. Depois que entrei nesse projeto a minha vida mudou muito e está mudando a cada dia. Agradeço muito a Deus e a Ricardo Castro".

No concerto final do projeto, no dia 10 de fevereiro, o famoso dançarino contemporâneo brasileiro Jair Cardoso fará uma coreografia e dançará duas músicas brasileiras que as meninas tocarão com seu quarteto, com a possibilidade até da presença do embaixador brasileiro na Noruega.